publicidade

Resenha

Nada a perder

servido por: Vitor Leobons

E mais uma obra de Jeff Lemire foi publicada por aqui. O autor é, sem dúvida, um dos nomes mais importantes da indústria de quadrinhos estadunidense atualmente. E Nada a Perder… mais uma prova disso!

Lançada pela Editora Nemo – com péssima tradução do título, só para constar – a história em quadrinhos é uma pedrada. Conta a vida de Derek Ouelette, um ex-jogador de hóquei violento e fracassado. Lemire lista uma série de adversidades: alcoólatra se culpa por um erro do passado e, hoje, responde com extrema violência; viciado em drogas tentando fugir também das falhas cometidas; relacionamento abusivo provocando consequências num futuro próximo; a família destruída; além da morte que deixa sequelas para sempre…

O roteiro faz praticamente um checklist de tragédias para construir os personagens e contar a história que deseja. Ao colocar lado a lado com outros quadrinhos desse autor, é fácil notar o estilo: as histórias são sobre relacionamentos, famílias disfuncionais… situadas em cidades pequenas e do interior. Partem do drama, mas passeiam pelo terror, suspense… com um pouquinho de humor. E Lemire usa desses elementos para estudar a condição humana e criar obras que fazem você pensar.

Hoje em dia, dos roteiristas em ação nos quadrinhos estadunidenses, é um profissional como poucos. Não tem a pretensão artística de um Grant Morrison, nem aquela veia pop do Brian K. Vaughan… os roteiros são mais diretos, mas absurdamente bem construídos e envolventes.

É um péssimo desenhista! O traço, uma porcaria… sério! Os desenhos parecem mais rascunhos rápidos feitos com finalidade de orientar o desenhista, do que ilustrações prontas para serem publicadas. Mas a narrativa e o storytelling são tão impecáveis que se torna até possível aceitar aquele traçado. Transição entre os quadros, uso das splash pages, trabalho com as cores… ele entende o processo de construção duma página e da narrativa em uma HQ.

Eu li as 270 páginas de Nada a Perder em uma porrada só! Simplesmente não conseguia largar… material para nos fazer pensar sobre a própria vida, as escolhas que fazemos e consequências. É foda!

Jeff Lemire é um dos melhores autores em atividade nos quadrinhos! E com a quantidade de material dele lançado, por aqui, nos últimos anos, parece que Lemire foi descoberto – de vez – pelas editoras brasileiras… ótimo para nós, leitores!